Welcome


Olá a todos. Neste blog vou dar-vos a conhecer um pouco mais sobre mim, o que faço, o que vejo, escuto e principalmente vou dar a minha opinião sobre isso. Tentarei dar a minha opinião sem ferir a susceptibilidade de ninguém e respeitando os gostos de cada um, por isso peço que respeitem os meus assim como as minhas opiniões.Por isso peço também que encarem tudo como com bom-humor.
Visitem, comentem e digam-me o que acham dos temas que vou propondo. Se quiserem contactar comigo podem deixar-me um comentário nos posts ou na caixa de mensagens que responderei assim que puder.



Porquê o Natal deixou de ter significado para mim?



Ora bem, eu quando era mais nova gostava do Natal, e não me refiro só  a quando era criança mas sim quando tinha os meus 15/16 anos também. Mas ao longo dos tempos toda a piada do Natal foi-se perdendo, e porquê, perguntam vocês. Bem aqui vão as razões:

Primeiro o Natal deixou de ter qualquer significado importante e não é nada mais do que uma época de consumismo (seja de prendas, luzinhas, enfeites ou de comida em fartura que acaba sempre por sobrar e ir para o lixo muitas vezes). Na TV só se vê falar do dinheiro que as pessoas gastam em prendas, e se já compraram todas as prendas que querem, e etc, etc etc. Isso irrita-me profundamente pois parece que Natal é só a época dos gastos, ainda para mais estamos num ano de crise mas parece que há sempre dinheiro para prendas caras no Natal.

Segundo, o Natal para mim é a festa das crianças pois são elas que vibram com as prendas e toda a azafama que existe, ou deviam vibrar, pois nos dias que correm parece que são mais os adultos que esperam receber as prendas e ficam tristes se o Pai Natal não lhes dá o que pediram.

Por fim, no meu Natal ocorrem sempre guerras familiares (este ano não é excepção, pois claro, senão nem seria o Natal da Rute) e por isso eu não fico nada entusiasmada com esta época de Natal pois já sei o que se avizinha.

E pronto, estes são os principais motivos porque o Natal não me diz nada nos dias de hoje. Digam lá se que não devia ser o boneco do anti-Natal?!

6 comentários:

Catarina 19 de dezembro de 2009 às 00:04  

oh rute és tu e eu... deixa lá

coop 19 de dezembro de 2009 às 02:48  

Concordo em parte com o que disseste.
É, sem dúvida, a época do consumismo.

Tenho a sorte de conviver apenas com a minha família próxima, e apenas essa. Nada de confusões. É uma época pela qual anseio, só pelo simples facto de o passar com as pessoas mais importantes da minha vida.

Quando era mais nova, havia sempre aquela magia, até porque dormíamos todos na mesma casa e só abríamos os presentes de manhã, como a tradição manda. E diziam-me q tinha q ficar na cama até de manhã, apesar de não conseguir dormir a noite toda com a ansiedade, porque senão o Pai Natal ficava envergonhado e já não deixava as prendas. lol

Depois de já ninguém acreditar no Pai Natal, a tradição continuou, só q a magia ainda estava lá. Ninguém sabe de quem são as prendas e divertimo-nos imenso. Para mim Natal significa família, acima de tudo. :)

Este ano vai ser o primeiro Natal para o meu sobrinho e espero q ele sinta essa mesma magia :)

Rute 19 de dezembro de 2009 às 12:07  

para mim deixava de haver natal e pronto.

Rute 19 de dezembro de 2009 às 17:26  

coop as guerras são mm entre pessoas próximas. a sério, razão tem o bobby quando diz que a família não te faz só sorrir

→ Calipso 20 de dezembro de 2009 às 13:43  

Pfff eu sei o qe isso e ! E sou nova =O No ano passado e qe me apercebi qe o natal ja nao e o qe era -.-

Rute 20 de dezembro de 2009 às 16:59  

bom natal era no meu tempo. lembro-me que até punha uma bota debaixo da chaminé quando era pequena. eu acho que as crianças hoje em dia já nem acreditam no pai natal depois dos 6 anos.